DispositivosReviewTendencia

Agricultura inteligente: onde a sujeira encontra os dados

Quando a maioria das pessoas pensa em agricultura, provavelmente pensa apenas em trabalhar na terra. Mas para os agricultores, as complexidades da agricultura vão muito além disso. Em média, os agricultores trabalham de 12 a 18 horas por dia para cultivar alimentos para todos nós. Eles observam onde cada semente é plantada, como as máquinas estão operando e como as condições climáticas estão afetando a colheita. E isso não pode ocorrer sem tecnologia. Você pode chamar o solo de escritório do fazendeiro e, com uma gama de tecnologias de GPS a inteligência artificial (IA), aprendizado de máquina (ML) e computação de ponta, é um dos locais de trabalho tecnologicamente mais avançados do mercado. 

Com a expectativa de que a população mundial chegue a 10 bilhões até 2050, os agricultores precisarão produzir 50% mais alimentos, tornando a tecnologia ainda mais importante. Mas o aumento da população é apenas um dos desafios enfrentados pelos agricultores. Eles precisam produzir mais alimentos ao mesmo tempo em que lidam com extrema variabilidade em suas terras, tomadas de decisão complicadas e urgentes e uma mão-de-obra decrescente. 

Para manter seus negócios funcionando e prover para todos nós, um agricultor deve usar muitos chapéus: agricultor, empresário. mecânico, meteorologista, tecnólogo. Há uma constante ligando cada uma dessas funções: dados. 

Tomada de decisão habilitada por dados na fazenda

Os agricultores não apenas alimentam e alimentam o mundo, mas também protegem suas terras. Os dados ajudam a informar todas as decisões que eles tomam, seja para entender quanta colheita seus campos produziram ao longo do tempo ou se suas máquinas estão funcionando no máximo. Mas esses dados só podem ajudar se forem capturados e analisados ​​de forma consistente e estratégica. Isso exige que os agricultores também trabalhem como excelentes arquivistas. Muitas vezes, gerações da mesma família trabalham na mesma terra há décadas. Para manter a colheita próspera, eles mantiveram dados sobre o desempenho de seus campos. O que antes era reunido à mão em um caderno passou para planilhas. Avanço rápido para hoje: as máquinas coletam dados, documentam e armazenam na nuvem. Então, muitas vezes com a ajuda de consultores terceirizados confiáveis, um agricultor pode analisar os dados para ajudar a simplificar decisões complexas.

Esses dados incluem o número de sementes plantadas, o rendimento de suas colheitas, a saúde da máquina e as condições climáticas, para citar alguns. Esses dados são usados ​​para tomada de decisão em tempo real no momento e também informam decisões estratégicas para os próximos anos. 

Coletando e analisando os dados certos

A tecnologia avançada é fundamental para todo o processo de coleta de dados e inclui uma combinação de elementos como sensores, Internet das Coisas (IoT), IA, ML e robótica avançada. Essa tecnologia funciona em conjunto com um sistema de GPS altamente preciso, que ajuda a guiar as máquinas no campo há mais de duas décadas.

Para pintar uma imagem, toda vez que um pulverizador passa pelo campo, ele coleta dados de sensores. Os dados vêm na forma de imagens de câmeras montadas na barra do pulverizador e essas imagens ajudam a derrotar o valentão de uma fazenda – as ervas daninhas. Com visão computacional e aprendizado de máquina, um pulverizador detecta a localização de todas as ervas daninhas em um campo. Depois que o sistema identifica uma erva daninha e calcula sua posição – além de determinar a velocidade do pulverizador e a localização dos bicos – o herbicida pousa apenas na erva daninha. Ah, e o pulverizador faz tudo isso enquanto se move pelo campo a 12 mph. Todos esses dados são capturados para o agricultor revisar e entender quais mudanças devem fazer durante a próxima operação. 

Ao incorporar tecnologia mais avançada no campo, os agricultores podem abordar: 

  • Comunicação máquina a máquina : as tecnologias sem fio e de dados permitem que as máquinas “conversem” umas com as outras. Por exemplo, dois plantadores trabalhando em um campo podem conversar entre si para que cada um saiba onde o outro já plantou, evitando que dupliquem esforços.   

  • Precisão por meio de IoT : a conectividade na máquina entre uma rede GPS e funções IoT atribuídas, como um bico de pulverização ou unidade de linha, permite que grandes máquinas funcionem com precisão crescente. A plantadeira média de 24 fileiras, ou robôs eletrificados, é responsável por plantar as sementes ao longo de um campo. À medida que a plantadeira avança pelo campo, ela aproveita a conectividade e os sensores para medir uma série de fatores à medida que as sementes são colocadas uma a uma no solo. O acesso à conectividade permite a transferência de dados da plantadora para o agricultor para atender as alterações necessárias.

  • Comunicação através da nuvem : os agricultores hoje podem monitorar e gerenciar suas operações remotamente em tempo real por meio de um dispositivo móvel graças à nuvem. Com acesso a dados em tempo real, eles podem ver o desempenho de suas máquinas no campo e possíveis ineficiências que precisam ser corrigidas. Dados sobre itens como o desempenho da plantadeira também são rastreados por meio de sensores. Por exemplo, um agricultor pode perceber que as mudanças nas condições do solo estão fazendo com que as sementes sejam colocadas na profundidade errada. O agricultor pode fazer ajustes em tempo real para colocá-los de volta onde deveriam estar.  

A indústria agrícola é um verdadeiro exemplo de como a tomada de decisões baseada em dados afeta todas as pessoas no mundo – porque todos nós precisamos comer. O futuro da agricultura é aquele em que todas as máquinas podem trabalhar juntas, usando dados para ajudar a produzir mais alimentos para nossa população crescente. 

Leia:   Nova pesquisa sugere que o Google enganou os anunciantes sobre o posicionamento de anúncios em vídeo

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo